terça-feira, 23 de outubro de 2007

Amando a Deus de Todo o Entendimento



“Fé é confiar no que você tem razão para acreditar que é verdadeiro e confiável.”
J.P.Moreland

No mundo evangélico hoje predomina uma nociva e demoníaca cultura anti-intelectual. A teologia é menosprezada e vista como um conhecimento inútil que só serve para atrapalhar.
Frases como “Deus capacita os mais fracos” norteiam esse pensamento que é, em parte, fruto de uma visão errada do conceito bíblico de fé, e também fruto de uma confusão nas palavras de Jesus quando falou que devíamos ser como crianças, o que ele estava dizendo era que devíamos ter a fé de uma criança, mas não a mente de uma criança! C.S.Lewis disse “Deus quer que tenhamos um coração de criança, mas uma mente de adulto”. E as pessoas crêem na falácia de que qualquer ação intelectual do homem é falta de fé na ação do Deus do “impossível” e ao invés de raciocinar devemos nos ater a orar e jejuar. Ao contrário do que pensam muitos dos crentes, esse pensamento é herético e destruidor dos fundamentos da nossa fé. Arrisco dizer que muito do estado caótico em que a Igreja se encontra se deve ao fato de sermos uma geração de cristãos ignorantes e anti-intelectuais. O maior mandamento deixado por Jesus foi “amar a Deus de todo coração, alma e entendimento” (Mt 22.37), mas infelizmente a última parte do mandamento é negligenciada. A palavra “entendimento” no original em grego é διάνοια (dianoia) que significa “pensamento profundo”, portanto devemos amar a Deus em todas as esferas da nossa vida, emocional, espiritual e também intelectual.

Como amamos a Deus com nossa razão? Acima de tudo, o crente tem que conhecer as bases de sua própria fé investindo no profundo conhecimento bíblico e teológico. Martinho Lutero dizia que a teologia nada mais é que a gramática da língua do Espírito Santo. É exatamente isso que a teologia é. E desafio alguém a investigar a história do Cristianismo e encontrar algum grande homem de Deus da história que não tenha sido também um profundo conhecedor das Escrituras. Em segundo lugar, o crente tem que conhecer filosofia, especialmente filosofia da religião, e apologética (defesa racional da fé) ambas essenciais tanto para o fortalecimento da própria fé quando para prover respostas racionais aos céticos como a Bíblia ordena em 1Pedro 3.15. Basta um estudo superficial da Bíblia e da história da Igreja e vemos o quão importante a teologia, a filosofia, e a apologética foram para a fé cristã. A começar pelo próprio Deus que em Isaias 1.18 incentiva o povo a raciocinar. Cristo que era mestre na retórica e se salvava como ninguém das arapucas lógicas dos fariseus, saduceus e herodianos como vemos no capitulo 12 de Marcos. O apóstolo Paulo que foi educado por Gamaliel, o maior sábio da época, citou poetas e filósofos pagãos em seus escritos (At 17.28, 1Co15.33, Tt 1.12), argumentava com os gentios como visto em Atos 17, persuadia - usando a argumentação intelectual - as pessoas a crerem em Cristo (At 17.4, At 28.23) e se dizia responsável pela defesa e confirmação do evangelho (Fp 1.7,16). (Se quisermos ser como Paulo porque não seguir o exemplo dele?). Apolo que convencia publicamente os judeus que o Cristo é Jesus (At 18.28). Tito ordena que os ministros tenham poder para convencer os que o contradizem (Tt 1.9) e Judas nos exorta a batalhar pela fé (Jd 3). Um passo além da geração do Novo Testamento, encontramos os pais da Igreja primitiva e seus tratados, apologéticas e cartas de uma inteligência brilhante, homens que foram fundamentais na autoconfiança e vigor da Igreja Cristã, pois esses homens mostraram que a comunidade cristã era tão intelectual e culturalmente rica quanto a cultura pagã que a circundava. Pulando alguns séculos até os grandes avivamentos do século XVIII, encontramos os grandes avivalistas John Wesley que dizia que o ministro deveria estudar “lógica, metafísica, teologia natural e geometria” habilidades negligenciadas pelos ministros evangélicos de hoje; e Jonathan Edwards teólogo e presidente da Universidade de Princeton. E mais recentemente, Billy Graham, o maior evangelista do século XX, disse que se pudesse recomeçar tudo de novo estudaria três vezes mais e tiraria seu Ph.D em antropologia! Ufa! Diante de tantas evidências em favor do uso da razão na fé cristã, como alguém pode argumentar contra?

Desde o inicio do século passado, com o avanço da ciência e os ataques intelectuais a religião, os cristãos preferiram se calar ao invés de contra-argumentar intelectualmente. E por isso a fé cristã acabou intelectualmente marginalizada, ao contrário do que fora outrora. Hoje a Igreja é mais guiada por sentimentalismo do que por convicções. Se quisermos uma Igreja forte e atuante devemos recuperar o espírito intelectual da Igreja, pensar de forma critica e aprender a aplicar a cosmovisão cristã a todas as áreas do conhecimento humano. Se quisermos transformar o mundo de forma eficaz devemos começar pela renovação de nossas mentes (Rm 12.2). Uma das desafiadoras tarefas dos pensadores cristãos é ajudar a mudar a tendência intelectual contemporânea de tal modo a favorecer um ambiente sociocultural onde a fé cristã possa ser considerada uma opção intelectualmente aceitável por homens e mulheres esclarecidos¹. Mas isso é fruto de muito estudo e esforço intelectual. Deus detesta preguiçosos, e os intelectualmente preguiçosos não fogem à regra. Nós somos responsáveis diretos pelo futuro da Igreja, se nós não nos dedicarmos com afinco ao estudo aprofundado da Palavra, se não zelarmos pela correta compreensão das Escrituras, se não fortalecermos os alicerces da Igreja disseminando as idéias cristãs, o mundo será levado por idéias anticristãs e a Igreja Evangélica não vai suportar por muito tempo os ataques do pós-modernismo e das filosofias seculares, pois as pessoas são movidas por idéias. Idéias cristãs deixarão o solo fértil para a mensagem do Evangelho, idéias ateístas tornarão a penetração do Evangelho praticamente impossível. Portanto ,Despertai, Bereanos!
¹MORELAND, J.P; CRAIG, William Lane. Filosofia e Cosmovisão Cristã. São Paulo. Vida Nova. 2005
Vitor Pereira 23.05.2007

11 comentários:

Anônimo disse...

Você tem razão.Eu mesmo só pude deixar de lado a filosofia existêncialista depois de encontrar pensadores cristãos sinceros e dedicados aos estudos teológicos, filosóficos e também outras disciplinas.
Existem várias fontes, uma delas que por sinal é muito boa, é a seguinte: br.geocities.com/deusexiste/
Trata-se de um site Brasileiro, com textos traduzidos de um Professor Norte Americano, chamado Jhon N Clayton; ele detém títulos Mestre e bacharelados em muitas áreas do conhecimento ciêntífico, estudou também grego pra poder ler a bíblia no original.vide: http://br.geocities.com/deusexiste/sobreclayton.htm
O Senhor Clayton, principal escritor da revista bimestral Does God exist? está nesse trabalho a pelo menos 40 anos.
A página original, para aqueles que querem mais fontes é:
www.doesgodexist.org
Obrigado e parabéns pelo post!

Sinceramente em Cristo:
Marcus Vinicius Matias de Arruda.

Anônimo disse...

Bom, para aqueles que de alguma forma não se sentem motivados a procurar nas fontes que mostrei, indico então um link direto, intitulado: "Adoração na igreja, circo ou mundo real?".
Não se assustem!O artigo nos mostra qual é a verdadeira adoração a Deus, vide link:
http://br.geocities.com/deusexiste/churchworship.html


Sinceramente em Cristo:
Marcus Vinicius Matias de Arruda

Anônimo disse...

Olá, estudei Física na minha graduação e hoje sou mestrando em Meteorologia. Aprecio bastante a Filosofia e a Teologia e hoje possuo uma cosmovisão das coisas criadas como nunca dantes. Minha fé em Deus foi reforçada e confirmada. Posso apreciá-Lo em Suas maravilhosas obras, as quais estão revestidas de amor, bondade e sabedoria. Afirmo q sofri bastante na igreja por fazer essa opção, pois as pessoas acham q adquirir conhecimento é se colocar no lugar de Deus, diziam q eu queria saber + do q Deus... pode?

Reforçando o q ja foi citado dos exemplos bíblicos, podemos citar ainda o profeta Daniel e seus amigos, q foram avaliados 10 vezes + doutos q os sábios da Babilônia (Dan. 1:20); Paulo nos fala do "culto racional" (Rom. 12:1) q devemos prestar a Deus, pois o mesmo não se agrada de tolos (Ec. 5:1). E Paulo ainda nos fala q nós devemos desistir das coisas próprias de menino (I Cor.13:11).
Portanto, avancem de graça em graça "para que os seus corações sejam animados, estando unidos em amor, e enriquecidos da plenitude do entendimento para o pleno conhecimento do mistério de Deus em Cristo, no qual estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência." (Cl 2:2-3).

André Deodato
Maceió-Alagoas.

Pr. Zwinglio Rodrigues disse...

Muito bem Vítor!!! Gostei do texto e da proposta do mesmo.

De todos os grandes nomes da teologia q vc citou, gosto muito de Wesley. Ele era capaz de unir erudição com poder de Deus.

A história diz q: "Uma noite mais de vinte rugiam e gemiam juntos enquanto eu pregava [... alguns dos quais] confessavam que eram demoníacos [...] Já vi pessoas espumando, tão violentamente agitadas, que seis homens ñ conseguiam segurá-las, e desvencilhavam-se de seus braços ou caíam no chão, debatendo-se em agonia infernal. Outos, vi suar de maneira incomum, com o pescoço e a língua inchando e se contorcendo".

JOHN CENNICK -um dos companheiros de pregação de Wesley-.

"Muitos, sem dúvida, foram [...] submersos, tanto no corpo como na alma, nas profundezas do desespero".

JOHN WESLEY

Pr. Zwinglio Rodrigues disse...

Muito bem Vítor!!! Gostei do texto e da proposta do mesmo.

De todos os grandes nomes da teologia q vc citou, gosto muito de Wesley. Ele era capaz de unir erudição com poder de Deus.

A história diz q: "Uma noite mais de vinte rugiam e gemiam juntos enquanto eu pregava [... alguns dos quais] confessavam que eram demoníacos [...] Já vi pessoas espumando, tão violentamente agitadas, que seis homens ñ conseguiam segurá-las, e desvencilhavam-se de seus braços ou caíam no chão, debatendo-se em agonia infernal. Outos, vi suar de maneira incomum, com o pescoço e a língua inchando e se contorcendo".

JOHN CENNICK -um dos companheiros de pregação de Wesley-.

"Muitos, sem dúvida, foram [...] submersos, tanto no corpo como na alma, nas profundezas do desespero".

JOHN WESLEY

Vitor Pereira disse...

Obrigado a todos que responderam.
Realmente considero o conteúdo desse post de vital importância para a Igreja Evangélica Brasileira. Vivemos em meio a uma emergência intelectual sem precedentes. Apelo a todos vocês que divulguem essas idéias para que possamos, no futuro, termos uma Igreja mais saúdavel!
um abraço

Crislane Andrade disse...

Concordo com o texto! Tá faltando o ENTENDIMENTO...
abraços,
;)
.

Profetico disse...

Elizabeth George

A autora expõe 6 verdades poderosas da Bíblia usadas por Deus que mudará para sempre o seu modo de pensar, de sentir e de viver. O livro trás um guia de estudos para aplicação pessoal ou em grupos pequenos.

pedro disse...

Olá boa noite, achei o texto muito bom realmente se todo crente, fizesse o uso da filosofia na religião, tornaria cada vez melhor a compreensão da existência Deus, poderia portanto mostrar aos céticos e ateus,que não há nenhum fundamento na argumentação ao dizerem que Deus não existi.

Anônimo disse...

O texto é´muito bom, se toda pessoa que crê em Deus, fizesse o uso da filosofia da reliião, seria com certeza mais fácil, comprovar intectualmente a existência de Deus através da razão. Espro possam compreender a necessidade, do intelectualismo na religião. Eu sou professora de Filosofia, e acredito na existência de Deus, os meus estudo foram baseados na Filosofia Perene e cristã.

Anônimo disse...

AMAR A DEUS DE TODO O ENTENDIMENTO.


E, respondendo ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o
teu coraçäo, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e
de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.

Devemos realmente nos aperfeiçoar no entendimento usando de todas as nossas forças para a sim fazer, mas temos que remir o tempo, atentamos para o que o livro de Eclesiastes diz:

E, demais disto, filho meu, atenta: não há limite para fazer livros, e
o muito estudar é enfado da carne. (Ec 12;12)

Esta é a perspectiva do que ocorre com a vida do homem debaixo do sol, ou seja, o que acontece aqui em nosso maravilhoso e miserável mundo.

Será que o muito estudar filosofia, teologia... Também não é enfado da carne?

Uma pessoa simples com pouca ou nenhuma instrução secular, não será capaz de AMAR A DEUS DE TODO O ENTENDIMENTO ?

Penso que sim, este é um sim para as duas indagações, a maioria esmagadora não tem condições de estudo adequado devido os mais variados fatores que compilados apontam para o egoísmo humano, mas isso é outro assunto, atentaremos ao ENTENDIMENTO que requer estudo e muito estudo, porém JESUS nos ensina que todo aquele que pedir sabedoria a DEUS o Senhor de Graça concede, esse é o verdadeiro ENTENDIMENTO que necessitamos.

Há uma satisfação no homem quando este adquire uma posição superior à maioria, neste caso “o saber” não é diferente podemos cair facilmente no pecado da Soberba. Lembramos o que aconteceu com Paulo o apostolo, que devido a excelência das revelações lhe foi enviado algo para contrabalançar o seu possível estado de exaltação em si mesmo, vanglória, como ele mesmo define um “Espinho na Carne”, Mensageiro de Satanás.

Estejamos prontos para qualquer um que nos perguntar a razão da nossa Fé, mas não esqueçamos que toda ciência está no Senhor JESUS CRISTO, não se faz necessário sermos todos Teólogos, Filósofos, Eruditos ... Digo que estes tem seu galardão mas aqueles outros também, a quantidade e a qualidade certa de entendimento nos é fornecida pelo Senhor, para isso basta que sejamos realmente Crentes Verdadeiros.


Considera o que digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo.
(2 Timoteo 2;7)


Ir. Haroldo Oliveira

 
Free Host | lasik surgery new york