sábado, 2 de fevereiro de 2008

Eu li... O Dom de Profecia de Wayne Grudem


Wayne Grudem é um dos maiores teólogos norte-americanos. Tendo estudado em Harvard e Cambridge, Grudem é autoridade a ser ouvida quando o assunto é teologia. Nesse livro o autor fala sobre um dom pouco compreendido e bastante controverso nos dias de hoje – o dom de profecia. De um lado os cessacionistas que o ignoram, de outro os pentecostais que o abusam. Grudem faz uma análise profundamente bíblica da natureza e função do dom de profecia, ele prova biblicamente que a profecia é para hoje.

Uma lição importante que o livro nos traz é sobre a diferença entre a profecia do Antigo e do Novo Testamento. Enquanto no Antigo Testamento os profetas tinham autoridade divina absoluta, no Novo Testamento quem foi responsável por essa função foram os apóstolos, estes sim aptos a transmitir as palavras de Deus e incluir livros no cânon, desobedecer a um apóstolo do Novo Testamento e desobedecer a um profeta do Antigo é o mesmo que desobedecer a Deus. Grudem diz:

No primeiro momento, poderíamos imaginar que os profetas do NT seriam como os do AT. Mas quando olhamos para o NT não parece ser esse o caso. Há pouca ou nenhuma evidência da presença de um grupo de profetas capazes de proclamar as palavras de Deus (com “autoridade divina absoluta”, que não pudesse ser questionada) ou com autoridade para escrever livros a serem incluídos no NT. No entanto, há um grupo bastante proeminentes no NT que realmente falava com autoridade divina absoluta e que escreveu a maioria dos livros do NT. Esses homens, porém, não eram chamados “profetas”, mas “apóstolos”. Eles se parecem, em muitos aspectos, com os profetas do AT.

Portanto, apesar de ser um dom baseado em revelação do Espírito Santo, o profeta neotestamentário está sujeito a falhas, assim como o mestre ou o pastor, pelo fato de que a revelação do Espírito Santo é transmitida com as palavras do próprio profeta, que pode interpretar a revelação de maneira equivocada. Para justificar esse ponto, Grudem cita o exemplo do profeta Ágabo em Atos 21.10-11.

Ágabo profetizou que os judeus de Jerusalém ‘amarrariam’ Paulo e o ‘entregariam’, - predição que não estava totalmente errada, mas continha elementos equivocados. Os romanos prenderam Paulo (v.33), e os judeus, em vez de entregá-lo voluntariamente, tentaram matá-lo, de movo que ele precisou ser resgatado à força (v.32). A predição não estava totalmente errada, mas um tipo de imprecisão nos detalhes como esse teria levado ao questionamento da validade de qualquer profecia do AT.” diz Grudem.


O livro é também uma marretada na cabeça do cessacionismo, Grudem aniquila qualquer possibilidade de os dons espirituais terem cessado. Depois de comentar sobre 1 Corintios 13.8-12, ele termina sua refutação a algumas objeções cessacionistas que tem como base o versículo de 1 Corintios citando D. Martyn Lloyd-Jones:

“Isso quer dizer que eu e você, que temos as Escrituras abertas diante de nós, sabemos mais que o apóstolo Paulo sobre as verdades de Deus [...] Isso significa que todos nós somos superiores [...] até mesmo aos apóstolos, incluindo Paulo! Significa que agora estamos em uma posição na qual [...] conhecemos, da mesma forma como somos conhecidos por Deus [...] Na verdade, existe apenas uma palavra para descrever tal visão: absurdo.”

Definitivamente é um livro essencial para os estudantes de teologia, será difícil um autor fazer uma abordagem ao dom de profecia mais profunda do que fez Wayne Grudem nesse excelente livro. O que John Stott fez com “A Cruz de Cristo”, Grudem faz com “O Dom de Profecia”, duas obras-primas completas e inigualáveis. Recomendo enfaticamente a todo cristão, tanto pentecostal quanto tradicional.

5 comentários:

Anônimo disse...

É facil de encontrar esse livro em algum sebo?

Deus te abençoe Vitor !!!

Fernando Jatobá, membro da 1ª Igreja Batista em Vila da Penha

Vitor Grando disse...

Fernando,

Você encontra o livro aqui:

http://www.estantevirtual.com.br/mod_perl/busca.cgi?pchave=wayne+grudem&tipo=simples&estante=%28todas+estantes%29&alvo=autor+ou+titulo

Marcos Oliveira De Deus disse...

Deve-se tomar cuidado com uma hermenêutica parcialista como a adotada por Grudem na interpretação que ele faz a respeito de Agabo`, pois o campo semântico da palavra "amarrar" e "entregar" aos romanos é amplo, e afinal de contas ele foi sim entregado aos Romanos e morreu lá!
A maior e infalível profecia que devemos ouvir hoje, é a palavra de Deus (bíblia) sendo aberta e pregada por um cristão cheio do Espírito Santo e ilumunado ppor Ele quanto ao texto que vai expor (claro que também deve ser despendido trabalho e estudo napreparação da palavra).
Ficar atráz de "profecia" é coisa de preguiçoso que não quer estudar a Bíblia.
Marcos Oliveira - Atibaia - Sp

Marcos Oliveira De Deus disse...

Deve-se tomar cuidado com a hermeêutica tendênciosa na interpretação do caso de Àgabo.
Estudemos com mais afinco as escrituras e isso nos bastará, pois Deus JÀ nos deu tudo que "conduz a vida e apiedade" conforme disse o apóstolo Pedro.
A Paz em Cristo Jesus!

steve disse...

Styve,

Uma regra pra ser um bom apologista é conhecer o outro lado da moeda, ou não?

veja isso:
http://www.monergismo.com/textos/pentecostalismo/profecias_linguas_gaffin.htm
e comente algo(é muito coerente o que ele diz). Não sei o que sou, o que devo ser cessaciionista ou não? devo defender o que acho ser serto(confiar no meu "falho coração")?, existem tantas argumentações boas e convinsentes de ambos os lados (o que define qual é a verdadeira, vai depender de qual vc vai querer acreditar ou pelo contexto das manifestações principalmente se estão relacionadas com as nossas vidas, sim?), ambas parecem ser verdade, é muito dificil.
Se não ser cessacionista é correto, logo eu participo dos maravilhosos dons espirituais, e vejo os meus irmãos cessacionistas como pessoas que estão deixando de participar de um grande movimento, mas contudo vão ser salvos, sim?! Mas se o cessacionismo estiver correto, o que são essas manifestacões?.
Me reponde uma coisa, suponhamos que realmente os dons cessaram, mas eu porem não creio mesmo que eu esteje errado, como chamariamos essas manifestações, mesmo que a biblia dissece que tinham encerrado, eu como servo fiel a Deus poderia manifestar tais coisas e continuar sendo servo que agrada ao seu senhor???
Um não-cessacionista olha pra um cessacionista como um irmão que se equivocou, mas um cessacionista, como olha pra o outro?, como um equivocado? será?, vc acha que ele ver as manifestações como, se ele tem serteza de que os dons cessaram?

Estou meio deprecivo, ao mesmo tempo que eu desejo ardentemente ser batizdo no E.S., fico confrontado com a "outra" "verdade", não sei mais o que fazer, já disse pra Deus que não iria pedir mais o batismo pois tenho duvidas."já que tenho duvidas , melhor ficar sem", é isso que eu pensso, tenho medo, mas esse pensamento nao me conforta, as vezes acho que estou com o pirulito perto da boca mas tenho medo de abocanhalo e ele ser salgado. È um paradoxo do cão!!!

você viu que minha situação é uma "cinuca de bico" , ficaria muito feliz se podesse me ajudar com essas questões, se poder gostaria que esclarecesse cada ponto da grande questão. Você parece estar bem mais preparado do que eu (psicologicamente, filosoficamente, teologicamente e "espiritualmente"(?)).

valeu irmão, pega essa "bomba aí", a paz.

 
Free Host | lasik surgery new york