sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

A RESPONSABILIDADE DE BATALHAR PELA FÉ

Qualquer crente entusiasmado com a atividade apologética conhece os versículos bíblicos que fundamentam essa atividade. 1Pedro 3.15 é o mais usado deles, também temos Mateus 22.37, Isaias 1.18 e Judas 3. Não é comum vermos um apologista corroborar sua atividade com base em Judas 3. Até mesmo eu, já conhecendo o versículo, não havia compreendido a sua dimensão, quando eu entendi a dimensão do versículo, percebi que se tratava não só do melhor versículo para fundamentar a atividade apologética, mas também, revelava a tremenda responsabilidade de tal tarefa.


Antes de analisar o versículo precisamos entender um pouco sobre as ações milagrosas de Deus na Bíblia. Primeiro: Deus nunca faz milagres simplesmente para aparecer, há sempre um propósito, quer seja um ensinamento, um príncipio a ser passado, ou para prenunciar algo que acontecerá futuramente (Jonas na barriga da baleia, por exemplo, simboliza a ressurreição de Cristo). Segundo: Deus faz milagres, quase que exclusivamente, quando está trazendo uma nova revelação, para confirmação da mesma. Foi assim quando Deus libertou Seu povo do Egito, e foi assim também na época de Jesus e dos Apóstolos. A ocorrência de milagres era tão freqüente exatamente porque Deus estava fazendo uma coisa nova, e os milagres serviam para corroborar essa nova mensagem que Deus estava trazendo através de Jesus e posteriormente dos apóstolos. Os milagres eram simplesmente necessários para confirmar as alegações de Jesus e dos apóstolos. Mas, chegou um momento em que Deus já havia concedido toda Sua nova revelação, a mensagem havia sido confirmada e concluída – o Novo Testamento estava pronto! -, logo, Deus não mais, necessariamente, se manifesta para corroborar sua Palavra – o cânon está fechado!


Com isso em mente, podemos prosseguir para a análise de Judas 3, o versículo é o seguinte:


"Amados, enquanto eu empregava toda a diligência para escrever-vos acerca da salvação que nos é comum, senti a necessidade de vos escrever, exortando-vos a pelejar pela fé que de uma vez para sempre foi entregue aos santos. "


A palavra “fé” (πίστις) , nesse versículo, se refere ao conjunto de crenças dos cristãos, isto é, a “fé cristã”, a religião em si, e não ao sentimento de fé. Mas o que é mais fantástico vem depois "que de uma vez para sempre foi entregue aos santos." Preste atenção no “que de uma vez para sempre”. Recapitulando o segundo parágrafo, sempre que Deus trazia uma nova revelação, Ele fazia diversos milagres para corroborar a veracidade da mensagem, assim foi na época dos apóstolos, Deus estava trazendo uma mensagem totalmente nova e, portanto, os milagres aconteciam freqüentemente – o próprio Deus confirmava a mensagem. Mas, já vimos que, agora a mensagem já foi confirmada e concluída, e, portanto, Ele não mais precisa agir para confirmar o que Ele já confirmou, está fechado e lacrado por meio do Novo Testamento. Agora, a responsabilidade por essa defesa da Palavra de Deus foi “de uma vez para sempre...” (forte isso!), “...entregue...” (παραδίδωμι - confiada!) “...aos Santos.” (nós!). Você percebe a revelação que esse versículo traz? É simplesmente fantástico! Deus confiou (παραδίδωμι) a responsabilidade de pelejar pela sua mensagem – o Evangelho, a Verdade, a fé cristã – a nós, eu e você! A responsabilidade que outrora era do próprio Senhor, agora está em nossas mãos. É simplesmente tremendo! Esse versículo revela que não só a apologética é um mandamento claro de Deus em Sua Palavra, como ela também é uma grande responsabilidade sobre aqueles que estão envolvidos nessa atividade. Em nossas mãos está o que outrora era responsabilidade do próprio Deus. Nada é mais persuasivo do que isso para nos comprometer com essa importantíssima tarefa de defesa da fé cristã. Vamos obedecê-lo!

Vitor Pereira

5 comentários:

Roger disse...

Amigo Vitor,

lendo seu artigo especialmente as últimas linhas "Nada é mais persuasivo do que isso para nos comprometer..."
Fiquei pensando na força da persuasão...

Sem dúvida o verbo grego "epagonizomai" (em Jd) traduzido como batalhar é muito forte. Ele nos lembra a palavra agonizar de nosso vocabulário. Ou seja um sobre esforço que nos leva ao sofrimento.

Nisso eu vejo a batalha de Jesus e dos apóstolos, pois a fé quando posta em prática, transformada em vida traz conseqüências (2Tm 3:12). Embora "lutar" em Efésios 6:12 tenha outra origem no grego (pale), assim porém entendo nossa batalha, como ali descrita: uma vida santa em verdade, justiça e oração.

Ou seja, embora a razão tenha seu papél, não é com a roupagem lógica com que vestimos o evangelho, mas na sua prática que se encontra nosso maior poder persuasivo. Não é mesmo?

Abrçs,

Roger
PS: Boa sorte em sua iniciativa com os cursos pre vestibular e de inglês!

Filipe disse...

Concordo com vc meu irmão:
"...(é) na sua prática(do evangelho), que se encontra nosso maior poder persuasivo"

Um sábio pastor certa vez disse que: "A Maior Pregação que um cristão pode fazer, não pode ser feita pela sua boca, mas Pela Sua Vida(com suas ações, gestos e atitudes).

Se analisarmos os grandes textos escritos na história, poderemos até encontrar algum com uma mensagem tão persuasiva quanto a do evangelho, mas a grande diferença da mensagem, se faz na vida de seu representante mor. E, no nosso caso(cristianismo) este é JESUS CRISTO. Ninguém viveu como ele viveu, e essa é a grande diferença...

Deixo aqui uma citação de Jean-Jacques Rousseau, que expressa bem isso:
"... Sim, a morte de Sócrates é a de um sábio, a vida e a morte de Jesus são a de um Deus."

Será preciso acrescentar mais alguma coisa?

Vitor Pereira disse...

Pois é Roger, a maior apologética é a nossa vida cotidiana.
Ravi Zacharias, famoso apologista, diz: "O maior obstáculo individual para o impacto do evangelho não é sua inabilidade de fornecer respostas, mas a falha de nossa parte em vivê-lo completamente".

Marcus Vinicius disse...

Grande amigo Vitor,

por uma dessas minhas buscas pela
internet, encontrei um artigo que
achei coerente e bem escrito!
Lembrei-me de ti:
http://www.chamada.com.br/mensagens/jesus_eruditos.html

Sinceramente em Cristo:
Marcus Vinicius Matias de Arruda

Zwinglio, Pr. disse...

Olá Vítor!!!

Parabéns pelo texto.

Escrevi dois textos esta semana onde trato tanto dos MILAGRES-CÂNON, bem como sobre a HERESIA-APOLOGÉTICA.

Estão no BLOG:

www.przwinglio.blogspot.com

 
Free Host | lasik surgery new york