quinta-feira, 17 de maio de 2007

O que podemos aprender com o massacre de Virginia Tech?

Cho Seung-hui durante o massacre.


Segunda-Feira, 16 de abril de 2007. Cho Seung-hui, um jovem furioso mata a tiros 32 alunos da Universidade Virginia Tech nos Estados Unidos. Acontecimentos como esse veem se tornando corriqueiros nas Universidades da maior potência do mundo. O mundo assiste em estado de choque. Como pode um alguém ser tão cruel a esse ponto? O que está errado nesse mundo para que essas coisas aconteçam? São perguntas que atravessam nossas mentes. O que os homens fizeram com a moral?

Nas Universidades dos EUA e do mundo os alunos são ensinados que não existem absolutos morais, moralidade é relativa e cultural. Em outras palavras, não há diferenças entre Madre Teresa de Calcutá e Hitler! Paremos para pensar o quão perigosa é essa filosofia de mundo ateísta e anti-cristã. Deus está morto! C.S. Lewis disse “Produzimos homens sem peito e esperamos deles virtudes e iniciativa. Caçoamos da honra e nos chocamos ao encontrar traidores entre nós. Castramos e ordenamos que os castrados sejam férteis.” Depois de retirarmos toda a referência moral, como podemos exigir que os jovens sigam algum padrão imposto pela cultura? Nós os castramos e exigimos que os castrados sejam férteis! Ensinamos que a diferença entre ódio e amor, coragem e covardia, generosidade e avareza é meramente cultural, então com que base podemos exigir que os homens sejam cidadãos morais? Criamos uma sociedade de amorais, pessoas que simplesmente não tem moral nenhuma. Vivemos como animais, levados por nossos impulsos e instintos naturais.

Isso é fruto da mudança da visão de mundo judaico-cristã para uma visão humanista ateísta. Como demonstração basta olharmos para os últimos cem anos de história. Veremos mais guerras, ditadores e mortes do que qualquer outro período histórico. Justamente um século em que “Deus está morto!” e o ateísmo tem dominado o pensamento moderno. Sem Deus, não há moralidade. C.S. Lewis, mais uma vez, disse “Uma crença dogmática em valores objetivos é necessária para a própria idéia de uma regra que não seja tirânica ou de uma obediência que não seja servil”. Devemos acordar enquanto é tempo, o caminho relativista é perigoso e continuará a produzir jovens como esse. Idéias tem conseqüências e, muitas vezes, conseqüências desastrosas. Que pelo menos esse acontecimento sirva pra mostrar que nem tudo é relativo e que nós acordemos para verdades óbvias de que nós sabemos, por natureza, a diferença entre mal e bem.

O mundo precisa de graça, de amor, de aceitação. Nos apressamos a tacar pedras em Cho Seung-hui, sem antes compreendê-lo, em suas próprias palavras: "Havia centenas de bilhões de opções e maneiras para evitar o que aconteceu hoje". Geralmente são palavras como essas que saem das bocas de jovens como Cho Seung-hui, eles apenas estão retribuindo o que receberam, ódio e menosprezo. Como acontece em todo caso como esse, o criminoso apresenta um histórico de sofrimento ao longo de sua vida. Geralmente são pessoas que tiveram pais abusivos, nunca tiveram amigos, nunca receberam amor e aceitação. Infelizmente, as pessoas só são capazes de dar o que elas recebem. Só o amor vence o ódio. Relutamos em enxergar essa realidade, enxergamos jovens como Cho Seung-hui como animais, monstros vindos diretamente de um filme de terror - bodes expiatórios de nossos próprios pecados. Resultado? Dia 16 de Abril responde da forma mais eloquente possível.

Vitor Pereira 19/04/2007

3 comentários:

Newton Mota Gurgel Filho disse...

"Isso é fruto da mudança da visão de mundo judaico-cristã para uma visão humanista ateísta."

Baseado em que você pode afirmar isso, veja bem, sabia que a maioria dos Norte Americanos são Cristãos? A maioria Protestantes, anglicanos, católicos, Mórmons e etc. Me desculpe mas onde relataram que o rapaz Cho Seung-hui era Ateu? Em lugar algum!
"Veremos mais guerras, ditadores e mortes do que qualquer outro período histórico. Justamente um século em que “Deus está morto!” e o ateísmo tem dominado o pensamento moderno."

As guerras sempre existiram, não sei se em maior número mas cresceram em poder.O ateísmo domina o pensamento moderno? Mais uma vez.. baseado em que você afirma isso? Os ateus são a minoria em qualquer país que você pesquise, e se não me engano não são os ateus que estão na luta contra os infiéis, jogando aviões contra torres, explodindo bombas, matando inocentes na televisão. Nem foram os ateus os que realizaram a inquisição, onde várias pessoas foram perseguidas, julgadas injustamente e mortas por superstições da igreja, apenas porque eram diferentes. O seu Deus é um deus de guerra, é o deus de Guerra das religiões Judaico-Cristã, basta ler o velho testamento e você vê tudo. Genocídio, adultério, machismo, vingança, morte, ameaças... Que Deus é esse? Misericordioso? Só se for com a reformulada que deram ao novo testamento...

Te garanto que a moral não vem da religião, eu mesmo não tirei minha moral de lá e nunca tive passagem pela polícia, nem matei ninguém, tampouco desejo faze-lo. Este rapaz só era doente, adoecido pelo mundo que o cercava e a sociedade que ao mesmo tempo que te cria, te critica.

Gosta de Nietsche? Deus está morto? Isso não vai de contra ao que você pensa?

Não costumo ver ateus cometendo barbáries, mas sim pessoas movidas pela religião ou apenas religiosos.

A moral é de cada um e sim ela é relativa, pois ela se baseia na nossa experiência diária.

abraço

Vitor Pereira disse...

Os EUA já não mais são protestantes, no máximo protestantes assim como os brasileiros são católicos, por herança e nada mais. Os EUA cresceram sobre um alicerce cristão-protestante, assim como a Inglaterra, mas hoje não mais.
Eu não disse que o garoto era ateu, podia até ser "cristão", e também não disse que a maioria é ateu. Mas eu me refiro a cosmovisão, a forma de enxergar o mundo e a vida, essa sim é ateísta, um dos frutos dessa visão é o relativismo moral, o qual eu combato nesse artigo.

O que são 3.000 mortos em um ataque terrorista muçulmano frente a 70.000.000 de mortos no regime comunista ateísta de Stalin?

O que são 3.000 mortos frente aos 40.000 sacerdotes mortos pelo mesmo Stalin

O que são 3.000 mortos frente aos 40.000.000 do regime comunista ateísta de Mao?

O que são 3.000 mortos frente as atrocidades de Hitler, que 'coincidentemente' era fã de Nietzsche e distribuia as obras completas de Nietzsche as suas tropas?

Quanto ao AT, você deve entender que é um livro que retrata a realidade assim como ela é, cruel e atroz. Não é um livro de fantasia religiosa. E portanto, descreve cenas cruéis, as mesmas que vemos hoje ao abrir um jornal. Porém, é preciso saber que nem tudo que a Bíblia DESCREVE, a Bíblia APROVA, há uma grande diferença.

Se Deus matou no AT? Claro, mas nunca arbitrariamente, sempre alertando o povo a se arrepender antes do juízo (foram 400 anos pros cananeus!) e como punição pelo pecado. Deus é misericordioso, mas também justo. De qualquer forma, Ele é o autor da vida, e um dia Ele vai matar você e vai matar a mim também.

Newton, entenda que eu não me refiro a seguir o cristianismo ou não, mas sim aos frutos da cosmovisão cristã e da cosmovisão ateísta. Na segunda, valores morais valores morais simplesmente não existem, não digo com isso que os ateus são imorais, de forma alguma, mas sim que não há a menor lógica para um ateu agir de forma moral, pois se Deus não existe, a moral também não existe.

Você pode não ter tirado moral diretamente da religião, mas posso te garantir que se não fosse por ela seu programa de fim de semana seria assistir homens serem comidos por leões no Coliseu, ou beber água em crânio humano.

Sim, Nietzsche vai contra o que eu penso, mas não quis dizer que eu creio que "Deus está morto", mas eu me refiro aos frutos do ateísmo, "Deus está morto" é a crença de boa parte dos estudiosos, e essa crença implica em consequencias no pensamento contemporâneo.

Quanto a ateus cometendo barbáries já respondi.

Um abraço!

Vitor Pereira disse...

Lá vai algo que eu escrevi em um debate, sobre os frutos do cristianismo:

Mudar o mundo todo mundo quer, mudar a si mesmo é outra história dizia Gandhi.
O Que nós (eu, tu, ele) fazemos para mudar essa realidade que você descreveu?

E estamos falando dEle, e não o que as pessoas fazem em nome dEle. Mas se for para falarmos do que as pessoas fazem em nome dEle, podemos falar da liberdade que temos devido ao cristianismo! Você vê em países muçulmanos a TV discutindo se Maomé era profeta de Deus ou não? Você vê na Índia discussões se as vacas são mesmo sagradas ou não? Mas vemos em países cristãos um esporte público chamado "malhar o cristianismo".

Nós podemos falar de como a prática de sacrificio de bebês foi abolida entre os cananeus quando os Judeus conquistaram canaã.

Nós podemos falar de como o imperador cristão Justiniano, aboliu a cruel prática de aborto e abandono de bebês na Roma antiga.

Nós podemos falar também de como os cristãos aboliram, na China, as chamadas "Torres de bebês", onde os bebês eram abandonados para virarem comida de aves de rapina, ou as vezes entregue como alimentos a lobos e cães selvagens.

Nós podemos falar do papel do missionário cristão, William Carey, foi fundamental na abolição da prática do Sati na Índia, em que a viúva era queimada, voluntária ou involuntariamente, ao lado do marido morto. E podemos falar também como o mesmo William Carey aboliu a prática hindu de sacrificio de crianças.

Nós podemos falar de como hoje no coliseu, bem no anfiteatro onde milhares de cristãos foram sacrificados por esporte, existe uma enorme cruz – um testemunho silencioso da vitória do cristianismo sobre a brutalidade do mundo antigo.

Nós podemos falar sobre como os cristãos fundaram Oxford, Harvard, Cambridge, Princeton, Yale e as maiores universidades do mundo.

Nós podemos falar do prósito de Gutemberg ao inventar a impressão - “Sei o que quero fazer: quero multiplicar a Bíblia" - imagina o que seria do mundo sem o livro?

Nós podemos falar de como os protestantes foram fundamentais na idéia moderna de ensino popular, ou seja, de ensino para todos, surgiu primeiramente na Europa durante a reforma protestante, quando a autoridade papal foi substituída pela autoridade bíblica. Como a rebelião protestante contra Roma originou-se em parte como resultado do estudo e da interpretação da Bíblia, tornou-se óbvio para os leitores protestantes que se eles quisessem que o movimento da reforma sobrevivesse e florescesse, seria absolutamente indispensável a divulgação da literatura bíblica em todas as camadas da sociedade.

Nós podemos falar de como o indice de alfabetização é maior em países protestantes.

Nós podemos falar de como o Concilio de Nicéia ordenou que fosse fundado um hospital em todos os locais que a Igreja estivesse estabelecida.

Nós podemos falar de Louis Pasteur, Blaise Pascal, Isaac Newton, Johanes Kepler, Francis Bacon...

Nós também podemos falar das obras de Michelangelo - Davi, Moisés e a Pietá, também das obras de Da Vinci e Shakespeare e a música de Bach.

Nós podemos falar de como os regimes ateistas de Stalin e Mao mataram mais de 110 milhões de pessoas, e de como Niezstche influenciou Hitler.

Nós podemos falar das raízes cristãos na ciência moderna.

etc etc etc etc etc etc...

O desempenho da Igreja deve ser julgado por inteiro, prós e contras, e não apenas pelo lado ruim. Assim como os 12 apostolos devem ser julgados por todos e não por Judas Iscariotes.

E como pude me esquecer...
...Nós podemos falar de como, na "Santa" Inquisição, os verdadeiros cristãos foram vitimas dos pagãos que exerciam cargos de autoridade na Igreja Católica.

Nós podemos falar de como Jonathan Edwards, Geoger Whitefield e John Wesley transformaram a Inglaterra do Século XVIII.

Nós podemos falar de como os evangelistas ingleses, liderados por William Wilberforce, aboliram a escravidão na Inglaterra...

-----------------------------

Para mais sobre esse assunto recomendo o livro: E se Jesus não tivesse nascido? de D.James Kennedy

 
Free Host | lasik surgery new york