segunda-feira, 28 de maio de 2007

Uma interpretação não-literal de Gênesis


Existem suficientes evidências científicas para afirmarmos que o mundo tem muito mais que alguns milhares de anos de idade. Ainda assim, a Bíblia afirma que o mundo foi criado por Deus em sete dias, como podemos resolver este aparente ‘conflito’?
Primeiramente, a Bíblia é um livro fantástico, porém é um livro antigo, dessa forma é de se esperar que encontremos dificuldades na interpretação de certas passagens, visto que foram escritos em uma cultura diferente, em um idioma diferente, em uma época remota, o que dificulta um pouco a interpretação de um texto, pois não podemos aplicar os mesmos princípios que usamos para interpretar uma obra da literatura moderna, para interpretar um livro que foi escrito em um período entre 3500-2000 anos atrás. Também não creio que Deus tenha tido o objetivo de nos oferecer um tratado cientiíico sobre a criação do universo. Precisamos perceber os princípios por trás do texto, (1) que Deus criou o mundo, seja lá qual meio Ele usou para isso; e que (2) o homem caiu por desobediência a Ele, deixando o pecado entrar nesse mundo, algo inegável se pararmos um minuto para analisarmos o atual estado do nosso planeta, mas vamos os pontos, lembrando que não passam de suposições:

1. Precisamos lembrar que Deus é um ser atemporal, Ele vive tanto o amanhã como o ontem, Ele não está preso ao tempo, e um dia para Ele é como mil anos (2Pe 3.8).

2. Quanto tempo terá se passado entre Gênesis 1.1 e 1.3? Quanto tempo terá se passado entre o princípio, quando Deus criou os céus e a terra, e o momento que Ele disse “Haja Luz!”? Este texto dá margem para milhões e bilhões de anos.

3. Em Gênesis 1.11 Deus cria a relva, plantas e árvores, porém vemos que em Gênesis 2.5 a criação das plantas foi um processo. Elas foram semeadas e cresceram, um processo que leva meses e não um dia, assim como acontece hoje quanto plantamos uma semente, o que pode indicar que a criação do Homem também tenha sido um processo, e não ocorrido em um único dia.

4. Em Gênesis 1.27, Deus criou o Homem e a Mulher, já em Gênesis 2.18-23 o processo de criação da Mulher é descrito de forma mais gradativa.

5. Gênesis 2.2-3, diz que Deus descansou no 7º dia, e em Hebreus 4.3-6 mostra que Deus ainda está em seu descanso, tendo o 7º dia demorado milhares de anos, é de se esperar que os outros dias também tenham demorado mais do que 24 horas.

6. Em Gênesis 2.7, Deus forma o Homem do pó da terra, assim como o crescimento das plantas, esse deve ter sido um processo que levou muito mais do que 24 horas. E, coincidentemente, os elementos orgânicos encontrados na terra são os mesmos encontrados no corpo humano. A origem da vida é a terra, ela que produz as verduras, legumes e cereais que nos alimentam, e também alimentam o gado do qual nos alimentamos.

7. O processo da criação sendo primeiro as plantas, depois os animais, depois o Homem, é exatamente o processo descrito pela evolução.

8. No sexto “dia” Adão foi criado, foi dormir, nomeou todos os animais (centenas deles), procurou por uma auxiliadora, foi dormir e Eva foi criada de sua costela. Tudo isso é bem improvável que tenha ocorrido em um período de 24 horas.

9. A Palavra hebraica para “dia” usada em Gênesis é “yom” que pode significar muito mais do que um dia de 24 horas, e sim um “período de tempo”. Em Gênesis 2.4 diz “Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o SENHOR Deus fez a terra e os céus”. Os sete dias da criação são descritos como um único dia.

10. Por último, na Bíblia encontramos alguns números que tem um simbolismo específico, dentre alguns deles são o 40 e o 7 que representam provação e perfeição respectivamente. Quantos dias choveram no dilúvio? 40 dias e 40 noites. Quantos anos o povo hebreu permaneceu como escravo no Egito? 400 (Múltiplo de 40). Quantos anos o povo permaneceu no deserto? 40. Quantos dias Moisés permaneceu no Monte Sinai? 40. Quantos dias Jesus permaneceu no deserto? 40. Por quantos anos os filhos de Israel comeram maná? 40. Quanto ao numero 7, além de ter sido o número de dias em que o mundo foi criado. Também quem matasse Caim seria sete vezes castigado. As 70 semanas de Daniel. Por sete caminhos o inimigo fugirá. Setenta vezes sete devemos perdoar. As sete taças do apocalipse entre inúmeros outros exemplos. Da mesma forma encontramos outros números que tem um simbolismo especifico, ainda mais no livro de Apocalipse, portanto creio que alguns números não devem ser interpretados de forma literal.
Vitor Pereira 31.10.2006

8 comentários:

Newton disse...

Caro amigo, é interessante ver que você está tentando interpretar a religião com a ciência, normal para quem deve estar em dúvida no que acreditar. Mas peço, não o faça. religião e Ciência são completamente opostas e não andam juntas. A Ciência é um processo investigativo, onde levantamos hipóteses, realizamos testes e obtemos evidências para adquirir novos conhecimentos que podem ser derrubados ou reformulados. A religião requer fé, ou seja, que você abra mão da sua capacidade mental de pensar para acreditar em uma coisa sem se perguntar se aquilo é lógico ou não. Espero que você consiga notar a difereça.
Te recomendo ler, The God Delusion - Richard Dawkins.

Um abraço

Vitor Pereira disse...

Qual ser humano não tem dúvidas?
Qualquer ser humano pensante, seja religioso ou cético volta e meia é perturbado por dúvidas. Jó, Eclesiastes e Salmos são livros repletos de dúvidas e indagações. Religião e ciência são compativeis sim. É claro que religião exige fé, por mais que tenhamos razão para crer, sempre haverá espaço para dúvida e incerteza, da mesma forma o ateísmo não nos dá certeza total, há também espaço para dúvida e portanto necessidade de fé, isso é válido para qualquer sistema de (des)crença. Em nenhum momento Deus exige de nós suicidio intelectual, pelo contrário, "Amarás a Deus de todo entendimento" é o que ele diz. Vou ler Dawkins, e também Sam Harris, assim como já li Nietzsche e sempre que posso leio pensadores céticos. Recomendo que faça o mesmo, não se atenha a sua "fé" mas leia também opiniões contrárias a sua crença, isso é ser um livre-pensador.
Te recomendo William Lane Craig, Norman Geisler e J.P.Moreland.
Aqui mesmo no blog pode encontrar textos deles e de outros na parte LINKS!
Um abraço!

Newton Mota Gurgel Filho disse...

Sim todos os seres humanos tem dúvidas, é da dúvida que nasce o conhecimento. Vc apenas afirmou q ciência e religião são compatíveis, mas não explicou o porque. Sempre haverá espaço para dúvidas, do contrário não teríamos porque estudar nao é verdade? Não disse que o ateísmo nos dava certeza total, mas sei que a religião dá, principalmente o cristianismo, já que parte do princípio que tudo é obra de deus. Não é porque tenho dúvidas que terei fé, se tenho dúvidas procuro o "por que" das coisas e se simplesmente eu assumisse q "algo" superior criou eue stou abrindo mão da minha capacidade de raciocínio e aceito uma coisa sem ter motivos... só porque eu quis ou alguém mandou crer. Se Deus exige ou não? Como vc sabe? fala com ele? Ou acredito em algo q foi escrito a muito tempo, traduzido com erros em várias línguas, a vários anos sem nenhuma fidelidade de cópia confiável...? Como vc pode provar q ueo que esta escrito nos livros "sagrados" é verdade?
Quando te recomendei Dawkins era só porque achava que você acharia interessante um ponto de vista oposto e que trata deste assunto, foi por gentileza te garanto. Sim lerei sim, aliás leio opniões contrárias ao que penso, não tenho fé pois não acredito por acreditar, eu que decido o que é plausível ou não pra mim, baseado nos fatos que me são apresentados. Vou adicionar seu blog e visitá-lo com frequência, certo? Um abraço e obrigado pelas indicações de texto.

Vitor Pereira disse...

Obrigado pela tréplica,
é da dúvida que nasce o conhecimento, quando essas dúvidas apontam para Deus não há motivos para não crer nele.
Um dos intuitos desse blog é justamente demonstrar como e porquê o cristianismo é racional e não é imcompativel com a ciência.
Cristianismo parte da premissa "Deus existe", e o ateísmo parte da premissa "Deus não existe".
Ambas "conclusões" permitem dúvida, o que devemos fazer é pesar evidências pró e contra e escolhermos por uma delas.
Quanto as suas outras indagações são válidas, porém, não utilizarei esse espaço para discuti-las. Acompanhe o blog, e em breve devo colocar artigos relacionados. Por hora, recomendo o livro "EM DEFESA DE CRISTO" de Lee Strobel, introdutório mas suficiente para responder de forma báscia a algumas de suas indagações. Novamente recomendo os links listados no blog, e a literatura recomendada também. Se desejar, posso lhe enviar artigos (em inglês a maioria) sobre esses assuntos.
Novamente, obrigado pela participação pois acrescentou muito ao assunto!
Participe sempre que puder e não hesite em manifestar opiniões contrárias.
Um abraço, Vitor

Filipe disse...

Parabéns cara. A fé tem que ser racional, não apenas sentimental.

Existir no kosmos disse...

Estudo Teologia na metodista (alto nivel reconhecido pelo MEC)espero colaborar para harmonizar ou distinguir uma e outra area.

dificuldades de interpretação existem porque saõ tomada em sentido particular,é nosso "olhar",pessoal.
Em primeiro lugar a Palavra d Deus transcende e não pretende uma objetividade racional, ela fala à existência e não a mente (Rudolf Bultmann e karl Barth)
SEgundo, Fé nasceu dentro da kosmovisão judaica antiga e cultura ,ou seja, a verdade eterna tem que se vestir de "tempo" (cultura). pois nos somos um ser cultural.
Terceiro, somos muito influenciados pelo iluminismo e verdade-logica de Descartes (ja fora de moda), ja ultrapassado por kierkegaard, Freud , Frijot Caffra emuitos outros.
A Palavra se refere ao agir e manifestação de Deus (é um testemunho)e não háprova racional contra ou favor. ela não testemunhar de ciencia,mas do unico Deus. Ainda devido ao absimo que o homem se encontra face a morte a vida não pode ser entendida de maneira mecanica e racional.A hsitoricidade de certos eentos biblicos existem, mas é a realidade que Crsito estabeleceu que deve ser experimentada,esse reino que "vem",na fé.
Conculindo a area da ciencia é uma; da ciencia teologica outra, e o teologo não contra põe, interpreta a biblia corretamente, e sabe que verdades reveladas estao acima da ciencia (entendendo aksomovisao antiga acerca da criação e etç....).

rafa disse...

boa noite

Pessoal, religião e ciência andam juntos sim, Einstein era cientista e profundo religioso ao mesmo tempo, o "1" é místico e o "0" é científico

Kali disse...

Se interpretarmos a bíblia ao pé da letra e ignorarmos a época e cultura que temos como pano de fundo poderemos nos tornar pessoas céticas e olharmos para este livro como se fosse um amuleto. E acredito que até mesmo os antigos não ignoraram a literatura daquela época.( Tiago, Tito..)
Respeito as opiniões mas acredito que uma pessoa crítica e de bom senso jamais interpretaria uma passagem bíblica complicada com apenas uma possibilidade de interpretação, ou seja, sem levar em conta a ciência,literatura,estudiosos da época, e a própria bíblia que muitas veze nos ajuda a esclarecer algo.
Amo a bíblia...amo ler e estudá-la, mas com bom senso e não com uma mente fechada!

 
Free Host | lasik surgery new york